V Dominical da SFRA: A Desenfreada Caça ao Rei e Um Dia Mau para os Veteranos

No V Dominical Rápido da SFR Alverquense participaram Boino, Rocha, Correia, Lucas, Vieira e Norberto. Dos anteriores totalistas, registou-se a ausência de Carlos Viegas Campos, Magnífico Empurrador de Meranos, falta muito chorada por Vieira e Norberto, como adiante se dará conta. Vítor Miguel também esteve presente mas não foi ainda desta que o Grande Pastor da Caro-Kann se dignou a saltar para o ringue.

Nesta edição da prova, os reis tiveram as suas cabeças a prémio, tendo sido comidos a esmo e a ritmo vertiginoso. Lucas comeu o rei do Rocha e o Chico comeu-lhe o seu (numa posição lastimável em que, honra seja feita ao Quase Aviador e Ortodoxo Gambiteiro de Negras, o Francisco lutou com afinco, dando basta mostra do seu costumeiro arreganho e lendária pertinácia). Perdi a conta ao restante regabofe real, mas aquilo parecia a revolução francesa, meus amigos.

As coisas não correram muito bem a Manuel Rocha que se estreara auspiciosamente na passada semana arrancando um segundo lugar compensando as duas derrotas com o Lendário Capitão Boino com um massacre à restante concorrência. Desta vez, perdeu ambas as partidas com Lucas e com o Chico tendo conseguido, no entanto, um autêntico milagre: empatou as duas partidas com este vosso amigo! Já que falo de mim, devo, sem modéstia, acrescentar que, com nove pontos em dez possíveis, cedi apenas os meios pontos ao Rocha e dizimei a restante tropa sempre risonho e castigador sem nunca perder o forte pendor pedagógico que me é amiúde reconhecido. No entanto, desta vez, tive um perseguidor fulgurante: o Chico que regressou às boas exibições que registara já nas duas primeiras edições da prova. Ganhou as oito partidas aos outros rapazes tendo perdido apenas as duas que jogou com este vosso criado (bem boas, por sinal: um Gambito de Dama com um peão isolado e uma Berlinense a preceito bem rendilhada pelas negras que arrancaram um colapso estrutural e nervoso ao Dos Aviões Correia).

Lucas esteve bem ao levar de vencida Rocha com as brancas e com as negras tendo, no entanto, comprometido a sua classificação ao perder as duas partidas com o Chico (uma das quais com a canibalização do seu próprio rei). Arrancou assim o bronze. O quarto lugar ficou para o Rocha, pois então.

Falta ainda falar dos dois veteranos em prova: Vieira e Norberto. Não foi um dia fácil para eles. Vieira somou derrota atrás de derrota tendo vencido apenas uma partida, contra o Norberto, na primeira volta. Norberto somou derrota atrás de derrota tendo vencido apenas uma partida, contra o Vieira, na segunda volta. Pode o leitor constatar que foram semelhantes os seus percursos, de tal forma que, esgotados os critérios de desempate, se mantiveram os dois em igualdade pelo que se atribuiu a ambos a cauda da prova ex aqueo!

Vieira ainda tentou reverter o curso da calamidade tendo recorrido à duplicação da cadeira (pôs uma em cima da outra) que lhe permitiria não só melhorar a sua visão sobre o damasquinado como intimidar o adversário com um porte físico mais imponente. De pouco lhe valeram as tentativas: lidava Vieira com rija malta que não se compra com panos fofinhos e pedaços de vidro colorido!

Norberto nem ao seu cliente habitual venceu, Francisco Correia não lhe deu, desta feita, grandes hipóteses. Sentiu-se muito a falta de Viegas Campos, pareceu-me perceber numa conversa entre Norberto e Vieira. Até o Loureiro ajudava, terão concluído. Ou então... ter-se-á de convencer o Inefável Walter Tarira a participar. Um dia mau para os veteranos!
Por tudo isto e por muito mais que aqui se não conta, não percas, caro leitor, as peripécias do VI Dominical! Eu sei que os dias custam a passar até lá... mas aguenta!

BOINO

Etiquetas:

Carris: Sessão Primeira

Começou ontem o grande torneio "Cidade em Movimento" no Museu dos Modernos Coches Eléctricos, ali mesmo, debaixo da ponte Salazar!

A SFRA fez-se representar com farta comitiva: Boino, Vieira, Campos e Norberto. Também os Peões apresentaram no Museu quatro dos seus lendários atletas: Tarira, Dias, Loureiro e Rocha! Sempre os mesmos? Pois então! Para quê mudar em equipa que ganha, lá diz o chavão!

Dos nossos, venci eu, por falta de comparência, é certo, mas não menos convincentemente por isso. O bom jogador nunca ganha mal, mesmo quando o faz por falta de comparência do adversário!

Os restantes 3 filarmónicos viram a sua vida andar para trás sofrendo 3 pesadas derrotas. Viegas e Norberto acantonados entre dois eléctricos, numa pequena mesa onde se acotovelavam para cima de vinte almas, mal podiam respirar, quanto mais segurar o material que teimava em fugir-lhe das mãos. Norberto enfrentou Paredes e perdeu. Viegas jogou o seu Merano mas, tendo o seu adversário trocado as voltas à sua sólida formação teórica, o de Alverca jogou 3 planos ao mesmo tempo, deixou-se dobrar em f6 e só adivinho o resto. Cou um arrepio naa espinha!

Vieira foi à mesa 3 combater com Luís Reis. De negras, jogou uma siciliana (fechada) em que, a páginas tantas, se viu com roque grande e aberto como um pára-quedas. Intrépido como sempre, Vieria deve ter entalado o pára-quedas nalguma árvore...

A peanada teve sortes diversas. Walter Tarira foi atropelado por Manuel de Almeida ao tentar mimetizar o Grande Ídolo e Mentor e Ex-Peão António Vítor numa daquelas variantes com apressados Bf4! Loureiro empatou com o Aguiar, resultado agradável para o atleta alverquense. Mérito também neste caso para este vosso amigo que trabalhou psicologicamente o Aguiar... dando inclusivamente a receita para a vitória ao Loureiro: Ataca duas peças ao gajo; ele tira uma delas; come a outra! Dito e feito. Não chegou para ganhar mas deu para repartir o ponto. Suspeito que Loureiro não tenha ouvido a seguinte frase: "Eu costumo ganhar ao Aguiar à base de duplos... cheque, ele tira o Rei, lá vai uma torre... e por aí a fora..."

Augusto Dias jogou contra o Rafael (texto auto-censurado disponível mediante pedido) O Dias lá perdeu também. Só Rocha venceu no tabuleiro, dos 8 de Alverca... Em suma: Resto do Mundo 5,5 - Alverca 2,5.


Um abraço!

BOINO

O Lendário Cavaleiro do Gambito de Dama Faz das Suas

Jogou-se ontem o IV Dominical Rápido da SFR Alverquense! Tivémos um estreante nesta edição do Mais Fabuloso dos Torneios: o Grande Peão e Estupendo Jogador da Francesa Manuel Rocha. Este homem, da escola de Franco e Justino, homens do CP MAGUE, sucumbiu apenas ante o Magnífico Enfardador de Gambitos de Dama Aceites ou Não, Cláudio Boino. Arrancou assim a prata ficando o ouro para o do costume: este vosso criado!

Francisco Correia perdeu em toda a linha o seu duelo privado com Hélder Lucas, o Campeão das Espanholinhas, tendo ainda conseguido arrancar um ponto e meio dos dois em disputa com o Renovado Norberto Santos! Bem melhor que na passada semana em que o atleta cobiçado pelo Clube TAP e pelo Club dos Amiguinhos do Cruz, Francisco Correia, sofreu duas pesadas derrotas ante o mesmo adversário! Lucas ficou assim com o bronze e Correia no quarto lugar. O quinto ficou para Norberto que trucidou por duas vezes Viegas Campos, homem que ocupou o lugar da lanterna vermelha. Escapou-se à justa às penas e ao alcatrão!

Não percas, caro leitor, as peripécias do V Dominical! Eu sei que os dias custam a passar até lá... mas aguenta!

Etiquetas:

IV DOMINICAL SFRA

Que melhor forma de polir o reportório de aberturas antes do grandioso Open da Carris que vir às 11,00h à SFR Alverquense no próximo domingo?

Logo a seguir à missa!

Etiquetas:

Grande Torneio Dominical da SFR ALVERQUENSE

Realizou-se ontem nas bonitas instalações da SFR Alverquense a 3ª edição do Torneio Rápido e Dominical da SFRA! Pouco depois do nascer do sol, às 11,00h da manhã, um punhado de xadrezistas juntou-se novamente para intensos combates! Desta feita, todos saíram vencedores, menos um: o Xadrez!

Nesta edição participaram 6 jogadores: Cláudio Boino, Nuno Lino, Francisco Correia, Carlos Campos, Hélder Lucas e Norberto Santos. Sendo apenas 6, jogou-se um "todos contra todos" a duas voltas. A grande surpresa do torneio foi o facto de Cláudio Boino, o Admirado e Eterno Capitão da SFRA, como é conhecido, tenha feito apenas 8,5 dos 10 pontos em disputa, ficando muitíssimo próximo do 2º classificado, Hélder Lucas, que somou 6,5 pontos! Também Norberto Santos surpreendeu ao averbar 3 pontos, ou seja, o triplo dos que somara nas edições anteriores da prova! Um grande abraço para o Iluminado Jogador de Grunfeld e Paladino da Defesa Francesa Norberto Santos! Francisco Correia, autor de uma inaudita proeza (venceu uma partida ao Pai dos Povos e Venerado Campeão das Partidas Rápidas Cláudio Boino) foi ainda mais além ao conseguir uma dupla derrota ante o Norberto! Conta com uma fotografia tua em cima da lareira do Norberto, caro Francisco! A história deste feito será cliente habitual nas reuniões da família Santos, essa te garanto! Hélder Lucas, muito seguro, conseguiu arrecadar o 2º lugar. Nuno Lino, algo irregular, conseguiu apenas o 4º lugar!

Sentiu-se a falta do Vieira, do Aurélio e do Ernesto Loureiro! Foi Carlos Campos o mais saudoso... faltou-lhe este trio para que pudesse facturar algo que se visse em manhã de Grande Fome!

Amigo xadrezista: se gostas de jogar rápidas em ambientes soalheiros e sadios, se queres fazer parte de uma grande epopeia, se gostas de folhados mistos e de bicas escaldadas, se queres ver o teu retrato numa qualquer lareira, fica sabendo que em Alverca, TODOS OS DOMINGOS ÀS 11 DA MANHÃ, há torneio de partidas de 5 minutos!

Etiquetas:

António Vítor

António Vítor, para nós, joga bem. Para nós Portugueses, é mesmo bom. Talvez não seja o melhor de Portugal mas, lá que é bom jogador, é mesmo e ponto final.

Jogador internacional?! Claro que sim. Já jogou no Brasil, Espanha, França e por ai fora. Agora está a experimentar a Hungria. Será que irá ali jogar o gambito de Budapeste?! Não creio. Acredito, tenho fé e torço pela obtenção da sua terceira norma de MI. Merece, joga bem e pronto. Venha lá a terceira norma da Hungria. Com Polgar ou sem Polgar… é o mesmo.